sábado, 26 de março de 2011

PL 122/06 e a Bíblia - a Verdade Histórica e a Mitologia Religiosa

terça-feira, 22 de março de 2011

A QUATRO LEIS ESPIRITUAIS!

1. PRIMEIRA LEI
DEUS TE AMA, E TEM UM PLANO MARAVILHOSO PARA A SUA VIDA.

O AMOR DE DEUS
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigénito, para que todo o que nele cré não pereça, mas tenha a vida eterna"
(João 3:16).

O PLANO DE DEUS
Cristo afirma: "Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância" (uma vida plena e com propósito) (João 10:10).

Por que é que a maioria das pessoas não conhecem essa "vida em abundância"?
________________________________________
2. SEGUNDA LEI
O HOMEM É PECADOR E ESTÁ SEPARADO DE DEUS; POR ISSO NÃO PODE CONHECER NEM EXPERIMENTAR O AMOR E O PLANO DE DEUS PARA A SUA VIDA.
O HOMEM É PECADOR
"Pois todos pecaram e separados estão da glória de Deus" (Romanos 3:23). O homem foi criado para ter um relacionamento perfeito com Deus, mas por causa da sua desobediência e rebelião, escolheu seguir o seu próprio caminho, e o relacionamento com Deus desfez-se. O pecado é um estado de indiferença do homem para com Deus.
O HOMEM ESTÁ SEPARADO
"Porque o salário do pecado é a morte" (separação espiritual de Deus) (Romanos 6:23).


Deus é santo e o homem é pecador. Um grande abismo separa-os. Mas o homem sente que lhe falta algo, tem um vazio e está continuamente a procurar alcançar Deus e a vida abundante, através dos seus próprios esforços: vida recta, boa moral, filosofia, etc.

A Terceira Lei oferece-nos a única resposta para o problema da separação...
________________________________________
3. TERCEIRA LEI
JESUS CRISTO É A ÚNICA SALVAÇÃO DE DEUS PARA O PECADO DO HOMEM. POR MEIO DELE VOCÊ PODE CONHECER O AMOR E O PLANO DE DEUS PARA A SUA VIDA.


ELE MORREU EM NOSSO LUGAR
"Mas Deus prova o seu próprio amor para connosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores" (Romanos 5:8).

ELE RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS
"Cristo morreu pelos nossos pecados... foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras."
(I Coríntios 15:3,4).

ELE É O ÚNICO CAMINHO
Respondeu-lhe Jesus: "Eu sou o caminho e a verdade, e a vida: ninguém vem ao Pai senão por mim" (João 14:6).


Deus ligou o abismo que nos separa dele, ao enviar o seu Filho, Jesus Cristo, para morrer na cruz em nosso lugar.

Não é suficiente conhecer estas três leis...
________________________________________
4. QUARTA LEI
PRECISAMOS RECEBER JESUS CRISTO COMO SALVADOR E SENHOR, POR MEIO DE UM CONVITE PESSOAL. SÓ ENTÃO PODEREMOS CONHECER E EXPERIMENTAR O AMOR E O PLANO DE DEUS PARA A NOSSA VIDA.


PRECISAMOS RECEBER CRISTO
"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber; aos que crêem no seu nome" (João 1:12)

RECEBEMOS CRISTO PELA FÉ
"Porque pela graça sois salvos; mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não das obras, para que ninguém se glorie" (Efésios 2:8-9).

RECEBEMOS CRISTO POR MEIO DE UM CONVITE PESSOAL
Cristo afirma: "Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa" (Apocalipse 3:20)

Receber Cristo implica num desejo de mudança de vida, uma nova atitude para com Deus, é deixar de confiar em nossos próprios esforços, creando que Cristo, ao entrar em nossos vidas faz de nos aquilo que Ele quer que sejamos.
Estes dois círculos representam dois tipos de vida:

Qual dos dois círculos representa a sua vida?
Qual deles desejaria que representasse sua vida?
Eu gostaria de explicar-lhe como pode receber Cristo.
________________________________________
VOCÊ PODE RECEBER A CRISTO AGORA MESMO EM ORAÇÃO
(Orar é falar com Deus)

Deus conhece o seu coração e está mais interessado na atitude do seu coração do que nas suas palavras. A oração seguinte serve como exemplo:

"Senhor Jesus, eu preciso de ti. Abro a porta da minha vida e recebo-te como meu Salvador e Senhor. Toma conta da minha vida. Agradeço-te porque perdoas os meus pecados e aceitas-me como sou. Desejo estar dentro do teu propósito para minha vida".

Esta oração expressa o desejo do seu coração?
Se assim for, faça-a agora mesmo e Cristo entrará em sua vida, como prometeu.

Você fez esta oração agora


terça-feira, 15 de março de 2011

segunda-feira, 14 de março de 2011

Sabor de mel Damares

O CORAÇÃO DO HOMEM PECADOR!!!


Este é um quadro do coração humano. Ou o seu coração é templo do Deus vivo, ou oficina de satanás. O coração humano foi criado para ser o lar do Deus vivo. O Senhor Jesus Cristo disse: “... porque eis que o reino de Deus está entre vós” (Lucas 17:21). Quando o homem caiu no pecado no jardim do Éden, o seu coração se tornou lar e oficina do diabo, também chamado satanás, o inimigo do Deus vivo. Quando o Pai celeste enviou Seu Filho unigênito ao mundo, não foi para condenar as pessoas, mas para tirar as pessoas da casa do inimigo e trazer as pessoas de vota à casa de Deus (João 3:15-17).    Quando a raça humana se deixou dominar pelo inimigo (satanás), toda a raça humana morreu espiritualmente, e ficou separada de Deus, pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, (Rom. 3:23). Depois disto,o coração do homem ficou cheio de pecado e escuridão. Este quadro mostra a condição de uma pessoa não salva ou perdida. Todos estes animais representam pecados no coração humano, pecados que nos separa do Deus Pai. O Senhor Jesus Cristo diz que é de dentro do coração dos homens, que saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, e a loucura, todos estes males procedem de dentro do homem, e contamina o homem (Marcos 7:21-23). Todo pecado é o terreno no qual o diabo reina.
1. O pavão representa o orgulho e a arrogância. Foi o orgulho que causou a queda de Lúcifer do lugar que ele tinha originalmente no céu. É o orgulho que faz com que uma pessoa não confesse humildemente o seu pecado e reconheça a sua necessidade de um Salvador.
2. O bode representa a rebelião e a obstinação. Deus diz que a rebelião é como o pecado de feitiçaria (I Samuel 15:23).
3. O porco simboliza a glutonaria e a sujeira. Um porco come qualquer coisa sem primeiramente discernir o que é que ele está ingerindo.
3. A Tartaruga representa a preguiça e a procrastinação. Por causa do medo, muitaspessoas vão passar a eternidade fora do reino de Deus. Mas, quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos,a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, que é a segunda morte (Apocalipse 21:8).
4. O tigre representa a raiva e a ferocidade, enquanto
5. A cobra Ou a Serpente simboliza o engano e a malícia.
6. O sapo é um símbolo da concupiscência e a avareza. O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (I Timóteo 6:10). Existe um tipo de sapo na África que come milhares de formigas, ele come tanto que acaba explodindo e morrendo. Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e onde os ladrões arrombam e roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem destroem e arrombam e roubam. Pois onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração (Mateus 6:19-21).
7. A estrela representa a consciência no coração de cada ser humano. Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os corrompidos e descrentes. Antes as suas mentes como a consciência estão contaminadas (Tito 1:15).
8. O olho de Deus vê cada coisa que acontece no coração do homem. E não há criatura alguma encoberta diante dele. Todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas (Hebreus 4:13).
9. As pequenas línguas de fogo representam o amor de Deus, pois Deus é um fogo consumidor e Ele vai com muito amor queimar todos esses pecados tirando-os do seu coração. Este exemplo representa a Palavra de Deusque com muita paciência bate a porta do seu coração e também convence você do pecado.
10. A pomba é o símbolo do Espírito Santo. Ele nos convence do pecado, da justiça e doJuízo com laços de amor nos conduz ao Salvador. Todos esses pecados são o terreno no qual o diabo anda. Quando o Senhor Jesus Cristo, o Filho do Deus Vivo, morreu na cruz Ele destruiu as obras do diabo (I João 3:8) e  do pecado e do poder do diabo.
CONVITE: Se após tiver lido a mensagem, gostaria que você aceitasse o convite de salvação que só Jesus Cristo te pode dar, então, dobre o seu joelho de mãos levantadas para Deus e confesse que O aceita como seu único e suficiente Salvador de tua alma, portanto baixe a sua cabeça e ore a Jesus: SENHOR JESUS: Eu confesso que estou perdido no pecado e não posso salvar a minha própria alma. Entre em meu coração agora mesmo, me limpe de todo pecado com o seu sangue e tome conta da minha vida como Senhor e Salvador. O meu coração é a sua casa para sempre. Amém! 

domingo, 6 de março de 2011

Shira Chadasha Boys Choir 2 Haboitchim Music Video

PASTOR LUCIANO ENTREGANDO A OPORTUNIDADE PARA O PASTOR MARCOS PAULO DO RIO DE JANEIRO

O VIVER PARA CRISTO E MORRER PARA VIDA DESREGRADA!!!


Deus não compactua com os que se entregam a vaidade da vida e prazeres com vida desregrada. O que adianta ganhar o mundo (danças, bebida alcoólica, drogas, sexos, fama e riquezas) se perder a sua alma? Nestes dias tem surgido certas doutrinas que Deus não se importa com o que fazemos ou como se faz sexo. Quero dizer que Deus se importa sim e, muito no que fazemos, quer seja bom, quer seja mal. E de tudo o que o homem faz dará conta no dia do juízo. Porque, “Cada pessoa tem de morrer uma vez só e depois ser julgada por Deus” (Hebreus 9:58). A Luz da palavra de Deus revela à condenação a prática destas coisas de natureza infame, que para o cristão verdadeiro até dizer o que eles fazem em oculto é torpe. Portanto, para o cristão que tem compromisso com Deus e seu Reino eterno, deve guardar-se destas coisas e dos que vivem uma vida desordenada, dissoluta, leviana, impura, imunda e de libertinagem e de sensualidade, que são praticados por muitos para satisfação carnal. Temos que nos afastar para não incorrermos na mesma condenação que virá aos impuros e lascivos e, “Por causa das coisas que essas pessoas fazem, Deus as entregou a paixões vergonhosas. Pois até as mulheres trocam as relações naturais pelas que são contra a natureza. E também os homens deixam as relações naturais com as mulheres e se queima de paixão uns pelos outros. Homens têm relações vergonhosas uns com os outros e por isso recebem em si mesmos o castigo que merecem por causa dos seus erros. Eles sabem que o mandamento de Deus diz que aqueles que fazem essas coisas merecem a morte. Mas mesmo assim continuam a fazê-las e, pior ainda, aprovam os que fazem as mesmas coisas que eles fazem” (Romanos 1:26 a 27 e 32). Os que tais coisas praticam nunca verão a Deus. Pois, todo pecado é iniquidade, e para o cristão não é normal pecar. O que peca afasta-se de Deus e o que permanece pecando fica distante de Deus. O salmista espirado pelo o Espírito de Deus declara que o Senhor não ouve as orações dos que atende a iniquidades no seu coração. “Se eu atender a iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá” (Salmos 66:18). Como que Deus pode ouvir uma pessoa que não quer abandonar a sua vida desregrada e mundana? Deus ouve os que estão dispostos a mudar de vida e achegar-se a uma vida com Deus com propósitos definidos em mudança e comunhão com o Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo. A família de Deus é um povo que tem responsabilidade e compromissos em obediência aos mandamentos de Deus, que é: Amar a Deus de todo o coração, alma e espírito e ao seu próximo como a si mesmo. Destes depende todos os mandamentos. Portanto, os que são membros desta família vivem em obediência e fidelidade ao Pai das luzes em quem não há mudança e nem sombra de variação, pois, a obediência é melhor do que sacrificar e do que oferecer sacrifício de tolo, porque, todas desta ordem de rebeldia são consideradas como pecado de feitiçaria e idolatria. As Escrituras Sagradas do Senhor declara que somente verão a Deus os limpos e puros de coração. Como alguém pode dizer que vive para Deus, se participa de danças (bailes), vive numa vida de deleites da carne, os que vivem desta forma estão longe da presença do Senhor Jesus Cristo. Quando na volta do Filho do homem Jesus vier em glória, então recolherá os seus escolhidos que lhe aguardam e obedece fazendo a sua vontade, mas os que vivem numa vida de mistura ficarão para a grande ruína que virá sobre todos que tiveram prazer na iniquidade, estes serão atados de mãos e pés e laçados no fogo ardente. Portanto, não podemos ter amizades com o ímpio e fazer o que eles fazem a fim de agradá-los e, por fim nos perder. Mas vale obedecer a Deus do que os homens e sê Deus verdadeiro e todo homem mentiroso. Conhecemos bem que o corpo não é para a imundícia e fornicação. Temos que ter este vaso de barro para a morada de Deus em santificação do corpo, alma e espírito. Portanto, se destruir-nos através das coisas concertes aos prazeres da carne, o nosso Senhor nos destruirá também, porque pertencemos a Deus e Ele nos manda conservar-nos irrepreensíveis, imaculados e santos numa vida de castidade e de santificação, declarando que “Sejam santos porque eu sou santo! (I Pedro 1:16). Os que fazem o querem de acordo com seus apetites desordenados e mundanos , são pessoas que andam pelo caminho da morte. Jesus disse: Venham a mim, todos que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei. E o pecado não terá domínio sobre vós. “Mas os covardes, os traidores, os que cometem pecados nojentos, os assassinos, os imorais, os que praticam a feitiçaria, os que adoram ídolos e todos os mentirosos, o lugar dessas pessoas é o lago onde queima o fogo e o enxofre, que é a segunda morte” (Apocalipse 21:8). Os que tais coisas praticam o Lago de fogo lhes aguardam. A recomendação da palavra de Deus é para que se arrependam e a promessa do Senhor aos que abandonarem o caminho do erro e das vis concupiscência e viver uma vida de consagração ao Senhor Deus e seu Filho Jesus Cristo que por eles morreu a fim de libertá-los da escravidão de satanás para o Reino do seu Filho amado, o grande vencedor sobre o pecado, o mundo e satanás, será a vida eterna na morada celestial, a onde não há mais dor, tristeza ou sofrimento nenhum, mas, gozo, alegria, paz no convívio com Deus e Seu Filho amado Cristo Jesus. A todos que aceita a Cristo, então poderá cantar com louvor e adoração, “Alvo mais que a neve! Sim, nesse sangue lavado, mais alvo que a neve serei”. (Hino da Harpa Cristã no. 39).

sábado, 5 de março de 2011

OTONIEL E OZIEL * PROFECIAS *

BREVEMENTE PARTIREI PARA SIÃO

Cidade Santa - siclip

QUEM SAO ESTES DE VESTES BRANCAS?

Trio Alexandre - Oliveira Verdadeira & Umadeci

NÃO FURTARÁS

 “Não furtarás” Êxodo 20:15

Quando minha família e eu regressamos no verão de nossas viagens descobrimos que nossa casa havia sido assaltada e que grande parte de nossa roupa de inverno tinha sido roubada. Numa noite ao regressar da reunião de oração sentimos no quarto uma corrente de vento, observamos que a janela tinha sido forçada e que um ladrão havia se introduzido e tinha levado vários artigos. “Mas”, dirás “este assunto não é para mim; eu nunca tenho assaltado casa nenhuma e nunca o farei”. Mas quando Deus diz: “Não furtarás”, o mandamento compreende muito mais que assaltar uma casa.
No sexto e o sétimo mandamentos falamos do sagrado que são a vida e a personalidade humana; no oitavo mandamento consideraremos os direitos humanos de propriedades. Este assunto nos toca muito de perto; quando se fala das posições de um homem, se leva muito em conta o que está no coração; mas se pode furtar coisas mais valiosas que a propriedade; há muitas coisas intangíveis que pode ser roubadas, e haverá algumas delas nesta mensagem.
Notamos aqui que nove dos mandamentos concernente ao homem, de acordo com que faz com sua pessoa – seu cérebro, seu coração, sua língua e sua vontade. O oitavo mandamento é o único que trata da propriedade, o qual indica que Deus está mais interessado no espiritual que no material; nós estamos mais interessado em nossas posições, mas a preocupação principal de Deus é nosso bem estar espiritual.

I.                O DIREITO DE PROPRIEDADE

Começamos dizendo que todas as coisas pertence a Deus; toda propriedade está arraigada Nele. Ele criou o mundo e tudo quanto há nele; tudo lhe pertencem. Voltando ao princípio da criação lemos: “No princípio criou Deus os céus e a terra”. Em Êxodo 19:5 diz: “Porque minha é toda a terra”. Em I coríntios 10:26 lemos: ”Porque do Senhor é a terra e sua plenitude”. Deus tem a primeira hipoteca sobre tudo. Supõe que construísse uma casa, uma ponte, um edifício ou um transatlântico; a madeira, o ferro e o aço que empregou pertence a Deus. A casa na qual resides lhe pertence; o dinheiro que dizes ser teu pertence ao Senhor; tu só és um mordomo dos bens que lhe pertence, ele tem confiado estas possessões por breve tempo; se ele lhe exigir acerto de contas, poderia num instante aniquilar tudo quanto tenhas num fechar de olhos.
Temos companhias que investigam os títulos de propriedade. Quando se compra uma propriedade, investigam a fim de poder ter certeza da validade do título. Talvez em suas investigações encontram que José Garcia comprou a propriedade de Juan Rodriguez, e ele a sua vez comprou de Antonio González. Se eles voltam até tanta vezes encontram que o governo outorgou a propriedade a determinada pessoa anos antes. Mas donde a conseguiu o governo? Deus nunca tem transferido o direito de propriedade a nenhum governo.
Mas aqui vemos quão amável e maravilhoso é Deus. Embora é o dono de tudo, nos ama e nos presta estas coisas para nosso deleite. Antes de casar-me eu não possuia um carro; queria levar a minha prometida a dar uma volta e daí que meu irmão maior me deu permissão de usar o seu. Uma noite lhe pedi emprestado o carro, fui buscar a senhorita e outros amigos e juntos passeamos e passamos um espaço em branco muito agradável. Eu não era o dono do carro, pertencia a meu irmão, ele só me emprestou para meu passeio. Deus é dono de tudo, mas em seu amor e graça infindos nos presta estas coisas para nosso proveito. Ah, que maravilhoso Pai é Deus!
Se, Deus é dono de tudo e nós somos simplesmente seus administradores. Um administrador é uma pessoa que maneja a propriedade para benefício de outra pessoa. Faz alguns anos prestei serviços como administrador de um colégio batista; isto não queria dizer que eu fosse o dono nem de um metro quadrado dessa propriedade, simplesmente queria dizer que havia sido elegido para dirigir as atividades do colégio para benefício dos donos. A vida seria mais agradável para nós, e nossas posições nunca nos dominariam, se recordássemos que Deus nos tem emprestado por um tempo como fim de que tudo seja empregado para sua glória.
Mas se bem tudo isto é certo, a humanidde tem direito de propriedade por Deus. Tem alguns no mundo que aboliram este direito e dão ao estado. Quando isto ocorre a personalidade humana é rebaixada, se nega a Deus, o estado é supremo e o homem se converte em escravo. O comunismo e o socialismo tem suas raízes no ateismo; em tais sociedades não existe lugar para Deus e o homem perde ua posição como um ser amado pelo Ser Supremo, o homem se converte em máquina e nada mais. O direito de propriedade dado por Deus é provado pela Escrituras; lemos que “Toda boa dádiva e todo dom perfeito é do alto ... “ Os homens mais respeitáveis de Deus que figuram nas páginas da Bíblia eram donos de propriedades: Abraão, Davi, Salomão; os filhos de Israel herdaram a Terra Prometida e a propriedade foi repartida entre eles.
Este mandamento enfatiza a dignidade da propriedade. No começo do mundo Deus deu a Adão o direito de ter domínio sobre toda coisa vivente; esse domínio implica direitos de propriedade; o homem que é dono de algo tem maior responsabilidade ante a sociedade e é um indivíduo melhor devido a isto. Na antiga Roma uma grande multidão correu atropelando pelos cais clamando por mais alimentos e melhores salários; era uma confusão que nada adiantou. Um homem sempre é melhor cidadão e é mais feliz quando é dono de algo.
Daí que facilmente podemos ver a razão para este mandamento. Deus simplesmente está dizendo que está perfeitamente bom que os homens tenham propriedades, e que é mal o remover  do indivíduo a propriedade que lhe pertence. Possuis uma casa, um automóvel, um negócio, ações? Então por vontade de Deus te pertence, e é mal diante de Deus que outra pessoa venha tomar o que é seu, e posto que nossas leis humanas estão baseadas na lei divina, é mal também aos olhos do homem que alguém remova aquilo que pertença a outro. Daí que ouvimos a voz de Deus no Sinai ressoando através das épocas: “Não furtarás”.

II.               O DIREITO DE PROPRIEDADE VIOLADO

De que maneira roubamos a outros?

1.    O roubo da propriedade. – Esta é a forma mais comum de roubo, mas não é a única. Há três maneiras de adquirir propriedade: doação, trabalho ou roubo. Os primeiros dois são legítimos; a terceira ilegítima. Se alguém te ama e te dá alguma propriedade, e te transformas em dono. Se trabalhas muito e compras a propriedade, e te transformas em dono. Mas o sujeito que rouba de qualquer modo é culpado diante de Deus e é uma ameaça para a sociedade.
Podes roubar ou tomar algo diretamente. Isto inclui ao indivíduo que rouba um banco ou uma casa ou que toma tua propriedade. Inclui ao homem que desvia cincoenta mil pesos de seu patrão e logo foge para o estrangeiro.
Se eu tenho dez pesos e se você rouba esses, eu perdi dez pesos; mas você tem perdido muito mais – a sua dignidade. Ele te conhece como ladrão e você sofre todas as penalidades que corresponde  a um ladrão.  Uma jovem  estudante universitário roubou dinheiro do joalheiro e de algumas meninas do outro quarto. O oficial revistou o dormitório dela, eles acharam os bens roubados e ela teve de devolver os objetos e foi para casa muito envergonhada. Portanto, algumas,  meninas perderam alguns artigos e o joalheiro alguns dólares; mas ela perdeu tudo. Digo disse um, vejo que a honra é a melhor prática. Para o cristão deverá ser mais que uma prática; deverá ser o verdadeiro coração de seu cristianismo.
Alguém dirá: “Sim, mas tem que viver”., e dá isto por pretexto para negócio sujos. Não, não é preciso que vivas, mas sim é imperativo que sejas honrado. Prefeririaa ser honrado e morrer vendo a presença de Cristo com as mãos limpas que ser um ladrão. Mas não morrerás se eras honrado, Deus cuidadará de ti e nunca defrauda.
Enquanto consideramos o roubo direto, recordemos que pequeno roubo te faz tão culpado como um roubo grande. Recordo de um corretor de negócios que conheci alguns anos; assistia aos cultos de pregação e de oração donde quer que se encontrara nos domingos e os mercados, conhecia a todos os pastores e as igrejas de seu território, não havia sujado com roubar um só peso; sem empedimento, seu quarto de banho estava cheio de toalhas de muitos hotéis. Eu creio que ele violou o mandamento.
Podes roubar cometendo uma fraude. Hoje em dia há demasiadas determinações no terreno da honra. A vida oferece cem maneira por meio das quais ser um ladrão, pequenas maneiras que não te levarão à prisão, pequenas tramóias  por meio das quais podes continuar sendo respeitável aos olhos de outros.  É aqui onde eles residem as grandes tentações para nós. Não estás tentado a roubar um banco nem a roubar dinheiro em efetivo de algum caixa forte; mas há muitos casos que limitam com o roubo e que pode por em perigo nossa honra.
Faz vários anos na porta de uma difundida revista apareceu uma viajante de agradável aspecto comprando um peru e um carneiro rechonchudo e amistoso. O peru estava na balança, o carneiro estava ao lado do mostrador e a simpática viajante ao outro. Os olhos de ambos estavam sobre o indicador de peso e se refletiu um olhar de satisfação em seu seus olhos; com prudência o açougueiro havia posto o polegar da mão direita sobre as peças, presionando para abaixo; do outro lado, a viajante havia colocado um dedo por debaixo das peças e empurava acima. Um e outro  ignorava a fraude, cada um estava tratando de aproveitar-se do outro.
O Livro de Deus diz algo referente a pesos e medidas: “Na tua bolsa não terás diversos pesos, um grande e um pequeno. Na tua casa não terás duas sortes de efa, uma grande e uma pequena. Peso inteiro e justo terás; efa inteira e justa terás; para que se prolonguem os teus dias na terra que te dará o Senhor teu Deus”. (Deuteronômio 25:13–15).
Os negociantes tem muitos costumes hoje em dia que não se pode considerar  honradas, dizem: “Os negócios é negócios”, e se excusan dizendo: “Todos fazem o mesmo”. Faz alguns anos negociei meu automóvel por um novo; vi que o marcador do veículo estava com 77.232 kms percorridos. Passando alguns dias um indivíduo me chamou por telefone dizendo-me: “Estou pensando em comprar seu veículo, notei que o seu carro está marcando 51.488 kms percorridos. É certo? O agente havia retrocedido quase 26.000 kms no marcador. O gerente duma companhia de automóveis, me falou que todos os agentes nessa cidade fazem isso; mas isto não uma ação legítima; é uma violação deste oitavo mandamento.
Há uma ilustração que vem ao caso e que se contra em Provérbios 20:14: “Nada vale, nada vale, dirá o comprador, mas, indo-se, então se gabará”. Um indivíduo quer vender sua casa, digamos. O agente examina, encontra muitos defeitos, então desvaloriza em 50% do valor e compra a propriedade. Depois de confirmado o contrato se ri: “Desta vez eu o trapaceiei. A casa vale muito mais do que me custou”. Quem isto faz tem violado o oitavo mandamento.
Pegamos o caso duma mãe que embarcou no ônibus com seu filho, queria economizar uns centavos e mente a respeito da idade dele afim de pagar meia passagem. Ela ri para si mesma pelo que tem feito. A companhia  de transportes não se declarará a falência por isto; mas examinemos o ocorrido; a mãe tem mentido e tem defraudado na presença do menino e está fomentando a falta de honradez nessa criatura; algum dia se extranhará quando a criatura ande por caminhos errados.
Um indivíduo foi contratado para construir um impressionante arco sobre as propriedades da Universidade Leland Stanford. Em lugar de levantar a parte dessas colunas com cimento bom as ergueu com desperdícios de materiais de construção. Um dia um terremoto sacudiu a região donde estava a universidade e o arco caiu em ruínas. O ato faudulento daquele indivíduo ficou exposto aos olhos de todas as pessoas. A falta de honradez nunca rende benefício. “Teus pecados serão descobertos”.
Outra maneira de violar o mandamneto é por meio do jogo de azar. O princípio de Deus é que obtenhamos o que necessitamos por meio do trabalho; mas o jogador quer obter algo sem que lhe custe nada; daí que em nossa sociedade haja toda sorte de jogos. A conta anual do jogo de azar nos Estados Unidos ascende a mais de seis bilhões de dólares, e é o pobre que geralmene sofre, o que gasta o dinheiro antes de ganha-lo, é o que ocasiona sofrimento a sua família, o que rouba o dinheiro de seu patrão e o perde no jogo.
O jogo encadeia as suas vítimas numa forma mais violenta que os narcóticos ou a bebida alcoólico. É difícil que um homem se livre deste hábito. Embora um indivíduo perca milhares de dólares, ainda gastará o dinheiro da alimentação ou do aluguel esperando ganhar algo. O ladrão e o jogador são gêmeos, ambos se orgulham de ser mais sagazes que o vício, ambos estão tratando de conseguir sem trabalhar aquilo que outra pessoa tem ganhado com o suor do rosto.
Mas uma das formas mais vis do roubo é não pagar as dívidas justas. Recordo-me de um membro da igreja que devia muito dinheiro a um grande números de pessoas em sua comunidade; quando conseguia um pouco de dinheiro saia de viagem, importando-lhe pouco ou nada as dívidas desejadas. Estava violando este mandamento. Todas  as pessoas deve pagar suas contas contraídas, o cristão deve estar em primeira fila. Muitas pessoas julgam a Cristro, a igreja e ao cristianismo pela maneira em que saldam suas dívidas.
O cristão estritamente honrado evita a censura do mundo. Supostamente há aqui uma pessoa cristã. Seu credor não o é ... Quando este cristão descuida pagar sua conta ao credor, é causa de censura para o cristianismo. Nunca poderás convencer a este credor que o cristianismo vale algo muito importante para a vida. O mundo não lê a Biblia, mas lê a nossa maneira de viver. Se não somos honrados , nunca ganharemos a ninguém para Cristo.
Quando um avivamento famoso estava em seu apogeo, milhares de pessoas foram salvas. Um comerciante disse: “Este avivamento não é grande coisa”. Mas dentro de breve prazo seus clientes mandaram seus envios como  finalidade de abonar suas contas. Então disse: “Este avivamento tem algum significado, desde o momento em que os indivíduos saldam suas contas contraídas”. Portanto foi ao templo assistir o culto e aceitou a Cristo como seu Salvador pessoal.
Um certo dia Jesus chegou em Jericó. Entre o povo havia um homem de baixa estatura, que tinha o ofício de cobrador dos impostos fixados pelo governo romano, guardando uma parte de percentual destes imposto para seu uso pessoal; Quando ouvio dizer que vinha Jesus, subiu a uma ávore para poder vê-lo. Jesus se deteve debaixo da árvore e lhe disse: “Zaqueu, desce depressa; porque hoje é necessário que eu turma em tua casa”. Zaqueu desceu e recebeu a Jesus com regozijo. De que maneira sabemos que foi salvo Zaqueu? Sabemos porque sua atitude negociou, isto foi o que disse: “Eis aqui, Senhor, a metade de meus bens dou ao pobres; e se em algo tenho defraudado alguém, devolverei quadruplicadamente”. Desde esse momento em diante eu creio que os cidadãos de Jericó tiveram certa confiança em sua religião; mas não terão na tua crença se não pagas tuas dívidas; sabes que estás violando o oitavo mandamento.
2.         O roubo de uma pessoa. – Todo homem tem direito de ser livre. Qualquer escravidão que priva dessa liberdade é roubo. Nos últimos anos se tem suscitado mjuitos casos de rapto. Esta é a pior classe de roubo. Não só se rouba a criança de seus pais  como  também se lhes rouba o gozo e a paz.
3.         O roubo da pureza. – Algum despresível espertalhão sai com uma inocente jovem e namora. Ela estando apaixonada, fará qualquer coisa que ele lhe pede. A seduz, lhe rouba a virtude, a inicia pela senda descente e com frequência lhe arruina toda a vida. Esse é o roubo mais baixo e mais perverso de quantos roubos há. Permita-me aconselhar aos jovens não ir tão longe em suas palavras a fim de encontrar-se em situação tão perigosa.
4.         O roubo da paz e tranquilidade. – Isto se rouba por negligência. Em épocas passadas um famoso escritor lhe concedeu escaso tempo e afeto a sua fiel esposa. Dentro de  um prazo relativamente curto ela morreu de tristeza. Ele levou seu diário e compreendeu quanto anelava ela ter seu carinho e atenção. Isto lhe quebrantou o coração. Vendo o cimentério sobre a sepultura de sua esposa clamou: “Te amo, você me escuta? Te amo”. Mas era demasiado tarde. Lhe havia roubado a felicidade que ele podia haver-lhe dado. Se deve levar flores as pessoas enquanto ainda vivas.
Há alguns que rouba a felicidade doméstica. Um homem ou uma mulher entra no circulo duma família feliz, usa toda a simpatia que tem a seu alcance para roubar o afeto dum esposo ou uma esposa, destrói um lar e a todos  os envolvidos. Davi fez isto. Enquanto Urias estava na guerra Davi lhe roubou a sua esposa, a tomou para si mesmo. Davi segundo seu pecado com outro mais: mandou a Urias a frente da batalha a fim de que perecesse. Acrescentou mais este  pecado de assassinato ao pecado  do roubo e adultério, e Deus castigou-lhe severamente por isto. Hoje em dia há muitos casos semelhantes. Deus não te terá por inocente se infringires seu mandamento desta maneira.
Os patrões frequentemente rouba a seus empregados. “Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuido, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos”. (Tiago 5:4). Eu conhecia um indivíduo aclamado por suas generosas ações de beneficência e religião; sem empedimento, eu conhecia alguns dos empregados que haviam estado trabalhando com ele durante muitos anos por salários que escasamente lhes permitiam a sobrevivência.
Os empregados podem roubar a seus  patrões também. O fazem por não render o justo a cada dia de trabalho. Eu creio que as discrepâncias entre o capitalismo e as forças de obras devem ser resultados de maneira cristã. O patrão deverá dizer: “Eu tenho um negócio aqui e necessito de tua ajuda. Te pagarei bem e proverei boas condições de trabalho para ti em vez de buscar a exclusiva ganância pessoal”. Então o empregado deverá responder: “Se meu patrão não prospera eu não terei emprego, Eu lhe renderei um bom dia de trabalho e vigiarei seus interesses, e confiarei em que ele também tenha presentes meus interesses”.
5.      O roubo da reputação. – Frequentemente vês algo que é prejudial a boa reputação de outro indivíduo, e sem investigar para ter certeza da veracidade repetes a outros o que viste. Logo o comentário se amplia em circulação e um bom nome tem sido roubado. Shakespeare disse: “Quem rouba minha bilheteria rouba algo inservível, mas quem me quita meu bom nome, me rouba algo que não lhe pode enriquecer , mas que na realidade empobrece a mim”. Isso é roubo em sua manifestação mais negra. É melhor roubar o dinheiro de um indivíduo do que seu bom nome. Um fofoqueiro é por certo um ladrão. Sabes algo realmente desagradável acerca de alguém? O engula isto. Nunca o repitas, seja certo ou não. Se fazes isto, possivelmente salvas alguém duma grande tristeza.
6.         O roubo do caráter. – Nos anos passados os indígenas  faziam  o seguinte com seus prisioneiros: Os guereiros formavam duas filas, ehntre as quais o prisioneiro era obrigado a correr, e a medida que corria cada guerreiro o golpeava com um pontapé. Muitos prisioneiros pereciam desta maneira. Isto me faz pensar em que nossos filhos tem que correr entre tabernas e todas as coisas tentadoras do rádio e televisão. O que está fazendo o mundo? Está roubando a muitos deles a oportunidade para construir uma boa vida. Permite-me dizer-te que nestes dias os pais cristãos necessitam orar e trabalhar mais assiduamente a fim de não desejar que o mundo roube o caráter de seu filhos.
7.         O roubo da fé. – O apóstata guiou a sua mãe a aceitar suas crenças ateístas; quando ela estava em agonia ele clamou: “Mãe, tem confiança”. “Filho”, Chorando ela, “me tens roubado minha fé”. Veio um aleijado caminhando e calado com suas muletas debaixo de ambos braços e que lhe fizera cair. Sem empedimento, quanto mais cruéis são os mestres e os ministros que rouba ao indivíduo sua fé, e remove o que lhe sustém espiritual.
8.         O roubo ao necessitado. – A Bíblia diz: “Deus ... dá o poder para adquerir as riquezas”. Posto que isto é verdade, em gratidão a Deus devemos empenhar nosso dinheiro para ajudar a quem tem sido menos privilegiados. Necessitamos reconhecer nossas obrigações para com outros, escuta a admoestação de Paulo  “Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha que repartir com o que tiver necessidade”. (Efésios 4:28). Se nos informa aqui que temos de trabalhar esforçadamente a fim de ter com que socorrer aos necessitados. É pecaminoso obter dinheiro e guadar-lo ou desperdiçá-lo por nós. O rico que gasta cincoenta mil reais para a apresentação em sociedade de sua filha, é um ladrão; seria melhor que tivesse investido aos pobres. Em um artigo de um jornal recente li que alguns dos clubes femininos iam consolidar seus esforços para construir uma cruz que custaria três milhões de dólares; certamente este dinheiro poderia ser usado mais proveitosamente.
9.         O roubo que fazemos a Deus. – O profeta Malaquias fez a pergunta: “Roubará o homem a Deus? A resposta vem quando Deus disse: “Pois vós me haveis roubado ... nos dízimos e nas primícias”. É o pior crime roubar a Deus. “Porque o amor do dinheiro é a raiz de todos os males”. O pior do dinheiro  radica como roubo que fazemos a Deus. Condenas a teu vizinho por não pagar suas dívidas; Deus tem direito de condenar-te ati se estás toando parte do dinheiro que lhe pertence. O quê ocasionou a trágica morte de Ananias e Safira? Sinceramente foi isto: não pagaram a Deus o que lhe haviam prometido.
A tua igreja está ocupada vinte e quatro horas de cada dia na tarefa de ganhar almas. É o que realizamos no país mediante os esforços locais e através do mundo por meio dos missionários. Quando tu guardas o dízimo estás fazendo que o evangelho não chegue a quem não conhece ao Salvador. “Mas”, dirás. “devo pagar minhas dívidas”. Temos para com Deus nossa primeira dívida; se estamos dispostos a pagar-la, ele nos ajudará a pagar o que devemos a outros. Nunca conheci a um dizimista que não financiou suas dívidas. Pagaos impostos pelo privilégio de viver em um grande país; pagamos nosso dízimo pelo privilégio de disfrutar de uma grande salvação.

III.             O REMÉDIO PARA O ROUBO

Nisto se aplica o mesmo remédio para todo pecado: ter a Cristo Jesus no coração. Ele pode limpar todo pecado e dar-te a força para vencê-lo.
Antes de ser salvo o bispo metodista Arturo Moore era um ferroviário. Eu era jovem quando lhe ouvi pregar. Ele disse que quando falou a Cristo como seu Salvador, se sentiu dentro da responsabilidade imperativa de devolver-lhe a companhia via férreas e o valor de algumas coisas que se havia embolsado. Isto é o que Jesus Cristo pode fazer por um indivíduo.
Certo dia um indivíduo se aproximou do senhor Moody e lhe disse: “Tenho roubado $ 1.500 de meus patrões; agora quero ser cristão, o quê devo fazer?” O senhor Moody indagou se quedava parte do dinheiro, e o sujeito respondeu: “Me rendaram $ 950,00. Não os poderia usar para colocar o meu próprio negócio, ganhar o suficiente e depois devolver o valor subtraída?” O senhor Moody disse: “Isso não importa, você deve fazer o que é correto. Confessa o teu pecado e devolva o dinheiro a ele”. O homem prometeu fazer isto. O senhor Moody o acompoanhou as oficinas da companhia. O homem contou o ocorrido, devolveu os $ 950,oo prometeu par a diferença. Os olhos dos patrões se encheram de lágrimas ao par que diziam: “Alegremente te perdoamos e te daremos o prazo necessário para pagar o restante”. Ali no escritório os quatro homens se ajoelharam e oraram. A restituição foi feita, uma alma aceitou a salvação e este homem chegou a ser funcionário da mesma empresa.
Se os homens perdoam nossos pecados, certamente Cristo perdoará se recorremos a Ele. Um moribudo disse: “ por recorrer-lo a andamento e minha aptidão, minha loja de serviços está limpa e  não tem amolações”. Deus nos ajude para poder afirmar o mesmo.
Carloso G. Finney estava dirigindo uma série de cultos em determinado lugar. Um indivíduo passou adiante e disse que queria ser salvo. O senhor Finney se ajoelhou para orar com ele: “Senhor”, implorou, “aqui está erste homem que te quer entregar seu coração por completo ati”, e o homem concordou: “Amém” “Senhor”, orou o senhor Finney, “aqui está este homem que quer compartilhar seu lugar contigo”, e o homem voltou a repetir: “Amém”. “Senhor”, orou o pregador, “aqui está este homem que quer compartilhar seu negócio contigo. Quer que tu sejas seu sócio e que o ajudes a dirigir seus negócios”. O homem permaneceu em silêncio e o senhor Finney levantou o olhar para perguntar-lhe: “Por quê não apoiava com um  ‘Amém’?” O homem respondeu: “Porque não estou argucioso para aceitar a Cristo em meus contratos comerciais, nem compartilhá-los com ele, nem pedir-lhe sua ajuda na direção dos mesmos”.
Ah, néscio! E, eu diria o mesmo a qualquer que não está disposto a desejar que Jesus advenha, e que tenha espaço em sua vida e o ajude em todos seus interesses. Entregar-lhe teu coração, deixa que ele reine sobre o trono de tua vida. Então a vida será melhor para ti em mil maneiras.

Traduzido do espanhol por: José Roberto da Costa

Fim




NÃO TOMES O NOME DE DEUS EM VÃO!


“Não tomarás o nome de Jehová teu Deus em vão; porque não terá por inocente Jehová ao que tomar seu nome em vão”.
Êxodo 20:7.

O primeiro mandamento nos instrui que devemos adorar a Deus e só a Ele. O segundo mandamento nos diz que não devemos prostrar-nos ante imagem alguma e sim que devemos adora a Deus em espírito e em verdade. O terceiro mandamento nos diz que temos de reverenciar, que nunca temos de usar seu santo nome de maneira indevida. “E bom, pastor”, dirás tu, “nos vais falar acerca da profanidade , verdade?” Sim, porque este mandamento instrui muito mais, proibe a profanidade, pois, que, proibe ainda muito mais.
Escuta este mandamento: “Não tomarás o nome de Jehová teu Deus em vão; porque não terá por inocente Jehová ao que tomar seu nome em vão”. Qual é o pensamento mais importante neste mandamento? Ex: “O nome do Senhor”.

I.               O NOME DO SENHOR

Há algo singular e diferente acerca do nome de Deus. Hoje em dia os nomes nem sempre significam algo. Um jovem pode chamar-se Jorge Washington e chegar a ser o mais mentiroso do seu país. Alguém pode levar o nome de Abraham Lincoln e tornar-se o mais grande ladrão da comunidade. Um muchacho pode levar o nome de Truett  ou de Spurgeon em honra de um e outro destes grandes pregadores e chegar a ser um moço e ainda perdido. Porque nos tempos bíblicos os nomes anunciavam significado que revelava algo do caráter. Abraão significava “Pai dos fiéis”; Jacó “Suplantador”; Israel “Príncipe com Deus”; João “Dom de Jehová”; e Pedro um “seixo”.
O nome de Deus tem seu significado, é direfente a outros nomes, é mais grande, mais elevado e mais significativo que todos os outros nomes. Os pensadores modernos lhe chamam “O grande Desconhecido”, o “O Absoluto”, ou “A Primeira Grande Causa”. Porque na Bíblia Ele mesmo dá os significados de seus nomes. Jehová significa “o autoexististe e o incomparável”. Elohim significa “o pleno de majestade – o temível”.  Este é o nome empregado na primeira frase da Bíblia onde se nos diz que Deus criou os céus e a terra. El, significa “o poderoso e forte”; Adonai, “Senhor o governante”; Eljon, “o enaltecido”; e El-Shaddai, “o mais elevado”.
Daí que vemos quanto Deus é absoluto, e assim no seu nome está incluído. O mandamento não proibe simplesmente o uso em vão do nome de Deus, como também de toda irreverência a Deus mesmo. Deus é santo; o homem é humano. Deus é perfeito; o homem é pecador. Deus está acima de todos; os homens são pobres pecadores. O homem deve a Deus reverência, admiração, temor e respeito. Quando o homem não demonstra a devida reverência a Deus está assim violando este mandamento.
O nome de Deus é santo assim como Ele é santo. Há algo pessoal e individual contendo o seu nome. Não agrada a um individuo ver seu nome mal escrito ou escutar que será mal pronunciado. Se isto é certo com ração a nós,quanto mais o é com referência a Deus. Seu nome revela sua pessoa e não pode estar separado Dele. Quando não somos respeitosos de seu nome, então revelamos ser irreverentes para com Deus. Honramos os nomes de grandes personalidade. No mundo da política respeitamos os nomes de Washington, Jefferson e Lincoln. No assunto de religião hnonramos os nomes de Lutero, Calvino e Spurgeon. Quanto mais, então, devemos honrar o nome de Deus. Ao honrar o seu nome a Ele honramos.
II.             O USO INDEVIDO DO NOME DE DEUS

1.         O uso indevido da profanidade. – Não deveria ser necessário falar a uma congregação de crentes acerca de profanidade, por ser um dos pecados mais comuns de nossos dias. Eu temo que muitos crentes caem neste pecado. Esta é uma época de profanação, os homens madizem, as mulheres maldizem, os filhos maldizem; maldizem pelas casas pequenas, no trabalho, na casa, nas festas, em todos os lugares. Este é um lamentável comentaria sobre a nossa vida social.
Que bem pode produzir a profanidade? Se um homem pintar um peneu do carro e maldizer ao peneu; mas, essa maldição não leva a afastar o peneu. Um indivíduo se tropeça numa sala no escuro e madiz a sala; por isso  não sara a lesão. Um homem madize porque perde um jogo; pois sua profanidade não lhe ganha o jogo perdido. Não há recompensa alguma para a profanidade. Todos os  demais pecados tem sua consequência, portanto, não ao  sim a profanidade. Se roubas ou bebês ou adúlteras, surgem alguma satisfação; proporciona sua recompensa ao devido tempo. Pelo que, não há paga que provenha dela – prática da profanidade.
Certo dia me acerquei a um indivíduo que eu conhecia e que estava maldizendo bastante. Quando se deu conta e me viu, disse: “Perdoi-me , pastor, eu não sabia que você estava aqui”. Eu disse que não era a pessoa com quem ele devia disculpar-se; ele havia tomado o nome de Deus em vão e devia pedir perdão ao Senhor. Se é incorreto maldizer quando o pastor está escutando, é mau maldizer quando se está ausente. Lembra que Deus te olha, estejas onde estiveres e digas o que quer que seja. Teu modo de falar é indicador de teu caráter; eu ouço um homem falar e relato como ele é. Se fala alemão, mui provalmente é um cidadão alemão. Se fala francês, mui possivelmente seja francês. Se fala com profanidade, eu vejo que o seu coração é pecaminoso. Jesus disse: “... porque da abundância do coração fala a boca”. Água pura sai de uma fonte pura; água impura sai de uma fonte impura. O mesmo ocorre com o coração do homem.
Sam Jones, grande evangelista até mesmo uns anos disse : “Quando ouço um maldizer a um indivíduo vigio minha bilheteria, porque se viola um dos mandamentos de Deus, mui possivelmente viole outro; se maldiz, também pode roubar”. Não todo homem maldizente é um ladrão, pois, que, certamente está debaixo da condenção ante a presença de Deus.
Possivelmente te surpreenda saber qual profanidade é muito mais comum nos chamados países cristãos que nos pagãos. Os pagãos sentem muito mais reverência para com seus deuses falsos que a reverência que nós professamos para com nosso Pai celestial. Um missionário regressava da Ìndia acompanhado de seu filhinho de pouca idade. Este menino nuca havia visitado o país natal de seu pai. Certo dia um norte americano que estava no abrigo estava fazendo amplo uso da profanidade. O missionário se a acercou e lhe disse: “Cavalheiro, meu filhinho nasceu e cresceu num país pagão, pelo que, até agora não havia escutado a um homem brasfemar contra seu Criador”. Não é este um triste comentário? Conhecemos a Deus, Ele nos tem abençoado ricamente e com tudo continuamos tomando o seu nome em vão.
Quando blasfemas estás oferecendo uma perversa e profana oração. Estás pedindo a Deus que condene a alguém a fim de satisfazer teu desejo de vingança. Jesus disse: “Amarás a teu próximo como a ti mesmo”. Também disse: “Assim que, todas as coisas que quizeres que os homens façam a vós, assim também façais vós com eles”. Em vez de fazer isto, estás pedindo a Deus que condene a alguém. Não vês quão terrível é teu pecado? As vezes dizes a  um homem: “Vai-te o diabo”. Deus tem preparado o inferno para o diabo e seus anjos; é um lugar horrendo. Jesus disse que os homens vivem ali para sempre jamais, sofrendo e padecendo vingança. Isto é um ato muito grave para julgá-lo com as palavras. Os homens se estão vendo no inferno, pois, que, não compete a ti condená-los.
A profanidade não só te corrompe a ti, como também corrompe a outros. Teu filho observa a tua profanação e a adota, e isto conclui e leva a algo muito mais pior. Não só pecas  – lamentas a outro quando usas a profanidade. E sim impedimento, há homens e mulheres inteligentes que maldizem como se obram educado no inferno e agem covardemente e tendo o próprio diabo como regente. Não é símbolo de inteligência e maturidade colocar a habilidade para maldizer, frequentemente revela a ausência de bom vocabulário; se os quitas algumas palavras profanas a determinadas pessoas, então os quites a habilidade de conversar.
Jorge Washington disse: “A prática perversa e estúpida do uso da profanidade é um vício tão mau e tão baixo que toda pessoa sensata e de caráter a aborrece e a odeia”.
Permite-me dezer-los, jovens, que o poder amaldiçoador não é um sinal de nobreza de caráter. Vives num lugar cristão e a influência de teus pais e de tua igreja mantém teu linguajar limpo e ministras estás crescendo; pois quando salgas o mundo encontrarás um ambiente saturado de profanidade. Te doerá escutar o nome de Deus tomado em vão; pois, que, depois que a surpreza inicial haja passado, te acostumarás. Logo um bom dia tu começas a amadiçoar e completa essa maneira de falar que se converte em hábito. Isto é um pecado aos olhos de Deus; não aumenta tua estatura diante das boas gentes, não ilude nada a teu favor. Te rebaixa desde todo ponto de vista.
Permite-me relatar-te minha experiência. Eu aprendi algumas várias palavras quando adolescente; certo dia me irritei diante de um homem e soltei uma boa quantidade de palavrórios. Ele era um bom homem e me sujou muito. Saí de sua presença humilhado e envergonhado. Havia passado os anos, mas nunca esqueci a lição aprendida aquele dia. Sem empedimento, não foi isso o que me curou. Vários anos mais tarde encontrei a Jesus como meu Salvador pessoal, e quando ele entrou no meu coração, a profanidade teve que sair, não havia mais lugar para ela, eu era um homem novo em Cristo Jesus e as coisas velhas haviam passado.
2.           O uso indevido do nome de Deus com hipocresia. – Quando um homem diz: “Senhor,Senhor”, e vive uma vida de pecado, é culpado de violar este mandamento. A profanidade na igreja é pior que a profanidade na casa. Quando nossa petições são negadas por causa de nossa vida, quando a profanação apontada por nossos pecados, então temos tomado o nome de Deus em vão. Quando um homem vai o templo e confessa a Cristo com seus lábios, mas o nega com sua vida, tem uma influência muito pior que o homem que não professa religião alguma. Antes que eu entrasse no ministério era membro de certa igreja donde um diácono tinha uma atitude mui piedosa, condenava todo pecado e criticava toda mundanidade. Quando o pastor pedia que dirigisse a oração, orava com tanta unção que quase sentíamos estar falando com Deus cara a cara. Sem empedimento, durante este tempo o homem estava robando quase um milhão de dólares de dinheiro sagrado. Era culpado de hipocrecia.
Hoje em dia há homens que se associam com o povo de Deus e professam ser grandes cristãos, mas seus corações estão negros pelo pecado porque não conhecem a Cristo Jesus. Estão violando este mandamento pela hipocresia.
A música sacra é algo maravilhoso e nos eleva a presença de Deus; mas muitas pessoas se escondem detrás do hinário e cantam uma mentira, pois nunca levam ao terreno da prática o que entoam com suas vozes. Cantam: “Eu te amo, Jesus”, e nesse mesmo instante sabem que não estão dispostos a deichar nada por amor de Jesus. Cantam: “Toma minha prata e meu ouro”, mas não estão dispostos a separar-se de um centavo. Entoam: “Eis-me teu voluntario”, e seguem seu caminho. Cantam: “Eu me entrego a ti”, quando disser verdade não tem dado nada a Cristo. É hipocresia cantar e falar do amor de Deus e viver em honra do diabo; isto é tomar o nome do Senhor em vão.
3.       O uso indevido do nome de  Deus  em   votos  vagos. – Todo   homem   que   faz   uma
promessa a Deus e falta a essa promessa tem tomado o nome de Deus em vão. Um homem que está enfermo em grandes dificuldades sabe que necessita o Senhor nesse momento e clama ao Senhor prometendo-lhe que vivirá para Ele o resto de seus dias. Quando passa sua terrível dificuldade está pronto para esquecer-se de Deus. Então segue seu caminho por onde vai, violando este mandamento.
E 1923 um grande terremoto fez estremecer o Japão. Milhares de pessoas perderam a vida e milhares mais quedaram sem lugar. Os Estados Unidos coletaram milhões de dólares e enviaram este dinhero para socorrer aos japoneses. Os japoneses se mostraram mui agradecido, disseram: “O jação nunca desprezou este gesto”. Faz poucos anos, quando eu estava no Hawai, fi a Pearl Harbor e ali pode ver parte do embarcação de guerra “Arizona” que se erguia de entre as águas. Os corpos de mil quatrocentos jovens estadonidense estão selados dentro dessa embarcação, é sua tumba. Em 7 de setembro de 1941 o Japão se esqueceram de quanto havia feto os Estados Unidos. O japão bombardeou a Pearl Harbor e nos meteu em sangrenta conflagração; por isto não é pior que o caso de um homem que hav endo sido grandemente abençoado por Deus, disse: “Nunca esquecerei”, mas que por fim  abandona a Deus por completo.
Um viajante caminhava por um bosque canadense, chegando a uma clareira, atreveu-se falar a um homem ateu que estava proclamando a sua crença ateísta na conferência da qual negava a existência de Deus. O ancião esperou pacientemente até que o jovem concluisse de falar e logo subiu sobre um tronco. “Senhores e senhoras”, começou dizendo:, “eu não discutirei com este jovem; mas sim quizera relatar-lhes algo que passou faz dois dias. Eu ia caminhando a encostas do rio quando ouvi um grito pedindo socorro, e vi um jovem em apuros pela correnteza e sendo arrastado pelas cataratas. Estava clamando a Deus e prometendo viver para Deus se Ele salvasse sua vida. Fui ao seu auxílio – arriscando a minha própria vida para salvá-lo. E este é o mesmo jovem que havia prometido a Deus de servi-lo com fidelidade. Este jovem havia feito um voto vão; havia violado este mandamento.
Eu conheço muitas pessoas que prometeu dizimar; mas quando chegou o momento de pagar seu voto, usaram o dinheiro para outra coisa e romperam sua promessa a Deus; nem sequer concederam a Deus a oportunidade de abençoá-los. “Quando a Deus se faz promessa, não tardes em cumprila; porque Ele não se compraz nos insensatos. Cumpre o que prometestes”. (Eclesiastes 5:4).
Vemos pois, que podemos violar o terceiro mandamento pela profanidade, pela hipocresia e pelos votos vãos.

III.           O USO CORRETO DO NOME DE DEUS

1.       Podemos usar seu nome em profecia. “Qualquer pois que me confessar diante dos
Homens, o confessarei eu também diante de meu Pai que está nos céus”. Fazemos o correto quando confessamos a Ele diante de todo o mundo como nosso Senhor e Salvador.
2.        Podemos  usar seu nome na oração. – É certamente correto o acercar-mos a Deus
revente e humildemente e clamar a Ele por meio da oração sincera.
3.       Podemos usar seu nome em adoração. – Quando pensamos em todas suas bênçãos
e quando usamos a voz para testificar, então, podemos usar seu nome na verdadeira adoração.
4.       Podemos usar seu nome para fazer juramentos legais. – Tais juramentos não estão
proibidos; na Bíblia são usados frequentemente. Se aplica o juramento para convencer a outros de nossa sinceridade, e com uma mão sobre a Bíblia e a outra levantada aos céus promete dizer “a verdade , toda a verdade, e nada mais que a verdade, assim me ajude Deus”. Quando um homem viola este mandamento o tribunal o classfica com perjuro. A Bíblia chama a isto usar o nome do Senhor em vão, é o violamento do terceiro mandamento. Seguramente que é pecado invocar a Deus para ser testemunha de uma mentira.

IV.           A SENTENÇA POR VILOLAR ESTE MANDAMENTO

Ei-la aqui: O Senhor não o terá por inocente. Se és culpado, Deus te castigará. “Mas”, dizes, “minha profanidade é só um hábito, eu não quero fazer nenhum dano”. Deus diz: Não te terá por inocente.
A igreja de Jerusalém estava prosperando, o entusiasmo estava no seu apogeu, os cristãos estavam tão ansiosos por ver que outros se salvavam que vendiam suas propriedades e traziam o dinheiro a igreja para ser usado no labor de ganhar almas. Entre eles estava um casal: Ananias e Safira. Admirando-se; eles decidiram vender sua terra, trazer uma parte do dinheiro a igreja. O dia seguinte vemos a Ananias trazendo certa soma de dinheiro a igreja. Pedro perguntou se havia vendido a propriedade por tanto, e Ananias o confirmou que sim: “Por quê sujou Satanás teu coração para que mentisses? ... Não tens mentido aos homens,  sim a Deus”. Ananias caiu morto ali mesmo e os jovens o tiraram para fora, e o enterraram. Três horas depois sua esposa chegou, ignorando o acontecido. Pedro Lhe perguntou: “Diz-me, vendestes por tanto a herdade?” Ela mentiu igual a Ananias, e imediamente caiu morta aos pés de Pedro, e foi tirada para fora e sepultada ao lado de seu esposo. Tu dizes que não é coisa muito séria tomar o nome de Deus em vão tal como fizeram Ananias e Safira; mas ao contemplar estes jovens enterrando a Ananias e a Safira devemos repensar que o assunto é delicado por tomar o nome de Deus em vão, Deus não terá por inocente.
Ah, mas apesar de nosso pecado, contamos com a promessa de que Deus nos ama e que nos perdoará se confessarmos nossos pecados. Ele disse: “Se vossos pecados forem vermelho como escarlata , como a neve serão embranquecido”. Pedro jurou um dia dizendo que ele não conhecia a Jesus. Logoa após alguns minutos Jesus passou por ali, o mirou com amor, perdão e misericórida, e Pedro saiu para fora e chorou amargamente. Não tememos notícia que volveria  usar o nome de Deus em vão. Quando nos arrependemos como o filho, Ele usa a mesma misericórida e o mesmo perdão a nós.
Por muitos anos São Hadley foi o diretor da Missão Water Street na cidade de Nova York. Ele coxeava no andar ; nunca havia servido o exército, mas ante de converter-se ele havia dito que coxeava como resultado de feridas recebidas no combate. E dia depois de sua conversão, um indivíduo indagou a razão do problema de sua coxa, ele se esqueceu e voltou a mentir como pretexto de seu serviço militar. Racionando se deu conta de que havia mentido e quis corregir sua mentira; mas o homem que o havia perguntado já se havia retido, de mo que tomou um transvia, foi na oficina do senhor e confessou que havia mentido momentos antes. Isto é o que Cristo pode fazer por ti, Ele te pode transformar interiormente. A única maneira por meio da qual se pode observar qualquer destes mandamentos é entregando a vida a Jesus Cristo.
O evangelista Dwight L. Moody dirigia uma campanha em Chicago certo homem pediu que orasse por ele. Depois do culto o senhor Moody se deu conta de que o homem estava convicto de pecado mas que carecia de valor para entregar-se a Cristo. Temia o que diriam seus amigos. Pouco tempo depois este homem enfermou e mandou chama o senhor Moody. O senhor Moody falou com ele e orou. O homem prometeu que entregaria seu coração a Cristo quando se repusera. Reposto o homem estava completamente recuperato e o senhor Moody lhe disse: - Agora você quer fazer a sua decisão por Cristo. O homem contestou: - Eu prometi que faria quando estava no leito da dor, mas agora quero esperar um pouco. Vou comprar um rancho, me estabelecer e logo confessarei a Cristo. O senhor Moody insitiu em que o homem saldara o assunto nesse mesmo momento. Mas o homem contestou: - Não, senhor Moody, esperarei até a primavera. Você tem cumprido com seu dever e se jovem sem Cristo, não será culpa sua. Uma semana mais tarde a esposa do homem mandou chamar o senhor Moody porque o homem havia voltado a enfermar. O senhor Moody tratou de falar com ele e o homem lhe disse: - de nada serve. É  muito tarde agora. Eu fiz uma promessa a Cristo e a rompi. O senhor Moody disse: - Mas Deus é misericordioso. E o homem sussurrou : - A   primavera tem passado e também o verão, e eu não sou salvo. Logo passou para a eternidade sem Deus e sem esperança.
Estou falando com alguém que tem estado prometendo que entregaria seu coração a Cristo e que se unia a igreja e viveria para Deus: Amigo meu, não postergues este assunto! Tens tomado o nome do Senhor em vão e Deus não te terá por inocente. Vem a Jesus agora mesmo.

APOCALIPSE


JoséRoberto da Costa

Este último livro da Bíblia trata de um modo claro, das últimas coisas em ordem cronológica e é único, isso os descreve pormenorizadamente.

A ressurreição dos mortos.
Anti-Cristo.
A segunda vinda de Cristo.
O Milênio.
O julgamento final.
A Geena.
Os céus novos.
A terra nova.
E Jerusalém Nova.
É verdade que, para muitos, parecerá este livro um labirinto onde ela não deveria penetrar, porque seria difícil a saída.
Para outro, porém, as últimas coisas são insignificantes e simplesmente um assunto de controvérsia que deveria ser posto à margem.
Às vezes, outros acham os assuntos meros especulação apocalípticos, enquanto, outros estão procurando tentar adivinhar o significado das bestas durante todas às vezes.
Mas alguns, já têm sua filosofia teológica estabelecida sobre a vinda de Cristo e possuindo várias teorias relativas à Escatologia, eles não querem abandoná-las, nem entrar em dificuldades inexplicáveis com seus contemporâneos, deixando o assunto por isto na gaveta.
Ainda alguns, não o estudem nem o pregam, enquanto temendo o castigo em qualquer interpretação que pode ser vaga de acordo com o capítulo 22:18-19.
Para outro este livro ainda está só uma poesia bonita; meras divagações de “Mitologia vindoura” – para enfeitar suas pregações com suposições das várias possibilidades, da execução literal ou espiritual das profecias.
Outros estudam Escatologia como uma colheita depois da semeadura, como incentivo espiritual ou recompensa, como uma felicidade privilegiada e força espiritual, para alcançar a meta final. Apoc. 1:3. Como um dos assuntos importantes que o Paulo ensinou nas igrejas de seu tempo. 2 Tes. 2:5; Tito 2:13-15; Como um objetivo na batalha sagrada.
Se nós amarmos o Cristo, não podemos deixar de amar sinceramente Sua volta como nos fala o Apóstolo Paulo. 2 Timóteo 4:8.
Por isto é escrito no Apocalipse: “Bem-aventurado aquele que lê e guarda as coisas que estão escritas neste livro, porque o tempo está próximo.” Apoc. 1:3. E termina: “Não seles as palavras deste livro, porque o tempo está perto.” 22:10.
O Cordeiro de Deus é a pessoa preponderante no livro de Apocalipse. Deus mesmo O Revelador e O Espírito Santo O Autor. Não duvidemos de sua autenticidade! Por isto, nós estudamos com prazer, porque este livro nos estimula e empolga no trabalho que nós fazemos para a glória de Seu Reino.
Entre estes, nós fomos considerados ministros de Cristo, para dar o alimento próprio no tempo oportuno, como Jesus mesmo ordenou a seus discípulos. Mt. 24:45-51.
Eis o propósito de nosso humilde estudo sobre a Escatologia. Tendo também para este a ordem divina: Apoc. 22:10.
A Revelação foi escrita por João. O qual escrevera o quarto Evangelho e as três Epístolas. Sendo isto o “discípulo amado” exilado na ilha Patmos no mar Egeu, na última parte do primeiro século.
No Apocalipse (isso quer dizer: remover o véu), nós temos uma ordem maravilhosa das últimas coisas. Até mesmo se, se nós quisermos mudar as coisas prescritas, não nos seria possíveis, sem entrar em conflito com as outras profecias sobre a revelação na Bíblia inteira, e também não pôde estar de outro modo, porque o Espírito Santo é seu Autor.
Se nós aceitarmos a ordem prescrita neste livro, as dificuldades de contradição desaparecerão e a revelação se tornará clara e lógica.
Sem dúvida o livro que é para toda a igreja, porque a ordem foi dada aos anjos (os ministros) para ser transmitido às igrejas. Apoc. 1:11. O Espírito Santo fala com as igrejas. Apoc. 2:11,29; 3:6,13,22; 22:16.
Se as igrejas deveriam saber estas coisas, quanto mais seus ministros! Como as igrejas podem ser vigilantes, zelosas para o trabalho, se seus anjos ignoram estas coisas?
Cada avivamento tem trazido com ele a esperança luminosa da volta de Cristo, e como resultado disto, uma grande atividade evangélica, com a consagração dos crentes: seus corpos, vida e dinheiro para a causa do Senhor. Assim eles tiveram fé, eles ensinaram, e saíram vitoriosos os primeiros cristãos!
Este ensino clareará o objetivo magnífico dos crentes e facilitará o ministério do “anjos” das igrejas. O corpo de Cristo que é a igreja desprenderá de muitas coisas seculares, os crentes serão atraídos para as forças celestiais, de valor eterno.
É claro que, nós não podemos usar este ensino para fins egoísticos e de um modo unilateral. Nós deveríamos estudar, porque, sinceramente com humildade e oração. Assim a Revelação estará para o estudioso qual rocha a manar para a vida eterna. As igrejas serão edificadas e serão preparadas para irmos ao encontro do Noivo celestial! Mt. 25:10.